#TransformoCidades: Lixo extraordinário, a arte de reciclar

Por: Maíra Brandão | 4/01/15 12:47 PM

Adalva Sobral Rodrigues e seus produtos reciclados.

Adalva Sobral Rodrigues e seus produtos reciclados.

Por Paulo Ricardo

“Sustentabilidade é você pensar no meio ambiente como continuação do seu lar”. É assim que Adalva Sobral Rodrigues, 65 anos, moradora do bairro de Casa Forte, considera o seu trabalho. No momento aposentada, ela dedica o seu tempo transformando aquilo que seria lixo em peças recicláveis. Adalva começou esse projeto ainda quando trabalhava como assistente social no Centro de Saúde Albert Sabin, na Tamarineira, há 16 anos, através de oficinas terapêuticas com os pacientes. Depois de ter resultados satisfatórios, passou a desenvolver atividades sustentáveis com grupos de adolescentes das comunidades, com alcoolistas e mulheres que precisavam obter renda. Entre os produtos reciclados por ela, estão o reaproveitamento da madeira de caixotes, que viram portas chaves e cruzes, além dos colares feitos de papel de revista.

Hoje, Adalva desenvolve o projeto também em faculdades e associações beneficentes, como a AACD. Segundo ela, o grande desafio ao desenvolver esse exercício de cidadania é despertar a consciência para o uso correto do lixo. Para Adalva o seu objetivo maior é pensar no meio ambiente como um todo e conscientizar cada vez mais a população sobre a importância de reciclar.